Reconhecimento facial é usado como sistema de segurança em espaços públicos e grandes complexos

Segurança
Postado em: 05/07/2018

New
Segurança
Reconhecimento facial é usado como sistema de segurança em espaços públicos e grandes complexos

Empresas que funcionam em grandes complexos, aeroportos, hospitais e espaços públicos já adotam o uso de softwares de reconhecimento facial como medida de segurança. Para identificação em roletas, elevadores e acessos às salas restritas, como de cofre ou estoques amplos. A eficiência de um processo com câmeras de qualidade, bem posicionadas e com sistema de inteligência integrado gira em torno de 90%, segundo as empresas especializadas em segurança com monitoramento inteligente.

Já usamos a biometria, no nosso dia a dia, para identificação por meio das nossas digitais. O uso é voltado para desbloqueio do celular, fazer operações bancárias e mesmo votar nas eleições. O reconhecimento facial é o novo caminho, também baseado em uma técnica biométrica em que os softwares codificam o nosso rosto. Assim como as nossas digitais, nossos traços são únicos.

Além dos celulares e aplicativos, como o Facebook, que identifica os nossos rostos nas fotos e sugere marcações, o reconhecimento facial já desperta a curiosidade e ocupa papel importante na publicidade. Várias campanhas com plataformas interativas estão sendo lançadas.

Alguns smartphones já utilizam a tecnologia para que o aparelho seja desbloqueado somente pelo proprietário. Com esse tipo de tecnologia, é possível encontrar e identificar alguém no meio de uma multidão. E até mesmo cruzar as informações junto ao banco de dados da polícia e órgãos ligados à segurança internacional, como Interpol.

Para acesso aos smartphones, o que antes era feito por meio de uma combinação numérica ou pela identificação da digital (touch ID) agora já está sendo substituída pela imagem do rosto do usuário. E não se trata de qualquer imagem, mas sim o escaneamento real da face do dono do aparelho através de um sensor frontal do celular. "O Face ID é o futuro de como nós vamos desbloquear nossos celulares e proteger nossas informações sensíveis", disse o vice-presidente de marketing da Apple, Phil Schiller. Segundo ele, o identificador de face substitui o sensor biométrico, tornando o processo 20 vezes mais seguro.

Um artigo da Forbes mostra alguns exemplos de utilização do reconhecimento facial no comércio, como o Laboratório de Inovação da SAP, que trabalha no desenvolvimento de óculos inteligentes. Eles vão ajudar os funcionários de lojas a obter informações detalhadas sobre os clientes, como compras recentes, preferências e reclamações. Assim, os atendentes podem interagir e atender melhor seus clientes.

O que é e como funciona o reconhecimento facial?

Para fazer esse mapeamento, os sistemas usam todas as características do rosto, chamadas de pontos nodais (são cerca de 80), como o tamanho do queixo e a distância entre os olhos. A extração de cada ponto vai formando a chamada "assinatura facial'. Isso é armazenado em um banco de dados. Ao fim do processo, é necessário comparar as características extraídas com as desse banco.

O equipamento inteligente reconhece os traços de uma pessoa com exatidão. Ao contrário do que se pode imaginar, as mudanças no perfil, como o uso de barba ou cirurgia plástica, não interferem no resultado da biometria facial. A partir do momento em que a pessoa olha para a câmera, ela faz a varredura e compara com o banco de dados. Se o resultado da face bate, a catraca gira.

O sistema é sofisticado, inteligente, ágil e seguro, já que permite a leitura de faces consideradas suspeitas, acionando alertas após análises de dados e comportamento. A câmera faz um desenho único do rosto de uma pessoa. Liga olhos, nariz, boca e as extremidades em linhas e pontos, gerando uma imagem tridimensional. Ela é transformada em uma sequência de números que o sistema armazena e reconhece.
Não há limites de cadastro no banco de dados e ele é capaz de fazer cerca de 5 mil comparações em um segundo. O reconhecimento cruza diversas informações e inclui fatores, como cor de pele e até a idade das pessoas.
Reconhecimento facial é integrado às câmeras de segurança

Para incluir o software de reconhecimento facial nos projetos de segurança é necessária a implantação de um sistema exclusivo, com câmeras específicas e sofisticadas. É necessário haver infraestrutura para o monitoramento de pessoas e o controle de acesso. Algumas plataformas já integram a operação em sistemas digitais e até analógicos, e prometem gerar uma grande economia para as empresas, além de um maior controle de segurança.

A identificação de pessoas autorizadas pode ser feita em tempo real, assim como de indivíduos considerados potenciais ameaças e que já estejam pré cadastrados. As soluções permitem a apresentação de alertas personalizados, com registro de data, hora e minuto de cada detecção. Podem ser programados ainda a emissão de alertas diferenciados para pessoas consideradas restritas. O sistema utiliza as imagens geradas e armazenadas nos sistemas de DVR para a verificação das faces e na comparação com as múltiplas bases de dados de clientes, alunos ou pacientes.

Soluções tecnológicas impactam a vida de todos

Todas essas soluções tecnológicas são cada vez mais aplicadas à segurança patrimonial e pública, de diversos setores. Áreas governamentais, centros fabris, centros de distribuição, hospitais e aeroportos já utilizam softwares inteligentes para protegerem seus patrimônios e clientes. Isso impacta a vida de todos nós, já que modificam processos.

Em aeroportos, já há estudos para implantar o check-in por meio de uma foto selfie feita pelo aplicativo de um celular. Esse e outros métodos de segurança são fundamentais para evitar golpes, roubos de estoques, cargas milionárias ou informações confidenciais e valiosas. A segurança e proteção de dados pessoais de clientes, especialmente quando envolve tecnologia e saúde, é de responsabilidade das empresas.

A automação e a inteligência artificial estão transformando o mundo e essa mudança afeta também o futuro do trabalho. Essas inovações reinventam os negócios e a vida das pessoas. Já somos alvos, diariamente, de campanhas ligadas à publicidade cognitiva, utilizamos o chatbot nos sites das empresas e serviços de telefonia, entre outros sistemas.

Claro que apesar de benéfica, sempre há a preocupação sobre a coleta e o armazenamento dos dados, trazendo à tona a discussão sobre a privacidade das informações. Diversos estudos e livros estão sendo publicados sobre o impacto das tecnologias no nosso futuro. Sobre a forma como a automação, a inteligência artificial e o machine learning estão aprendendo sobre o comportamento humano. Mas isso é assunto para um próximo artigo.


Site Desenvolvido por
Agência UWEBS Criação de Sites